icon-29VITicon-30VITicon-23VITicon-24VITarrow copy 3icon-11VITicon-19VITicon-10VITicon-30VITicon-26VITicon-22VITicon-14VITicon-28VITicon-09VITPage 1icon-03VITicon-16VITicon-31VITPage 1pinoicon-27VITicon-25VITicon-01VITicon-01VITicon-02VITicon-04VITicon-13VITicon-12VITicon-18VITicon-08VITicon-17VITicon-05VITAtivo 1cardiomedlogoVITArtboard
  • Cuide
  • Mova
Atividades físicas para diabéticos

Praticar atividades físicas é muito importante para mantermos a saúde do corpo e da mente. Diversas funções do organismo, como a circulação sanguínea e oxigenação são beneficiadas por exercícios físicos, além de garantir o bom funcionamento de músculos e ossos. Hormônios como a serotonina e a endorfina são naturalmente produzidos pela atividade física. No caso dos diabéticos, as atividades físicas são fundamentais, pois os exercícios reduzem imediatamente os níveis de glicose no sangue, pois estimula a ação da insulina. Dessa forma, a glicose é captada pelos músculos, e com o tempo a insulina tende a agir mais eficientemente no organismo.

O que é diabetes?

Essa doença é caracterizada pela elevação do nível de glicose no organismo (hiperglicemia), e normalmente ocorre pela deficiência na produção do hormônio insulina pelo pâncreas. Também pode ocorrer devido a uma falha no funcionamento desse mesmo hormônio, que permite a entrada da glicose nas células do nosso corpo.

A doença se manifesta nos seguintes tipos:

Diabetes tipo 1 – É uma doença auto-imune e é caracterizada pela perda da capacidade de produção de insulina pelo pâncreas devido a um problema imunológico. Os anticorpos passam a atacar as células que produzem o hormônio.

Diabetes tipo 2 – é o tipo mais comum e é causada pela baixa produção de insulina atrelada a uma falha em sua ação. As causas estão relacionadas como predisposição genética, obesidade e hábitos alimentares não-saudáveis. É tratável com remédios mas pode se agravar com o tempo caso o controle não seja rigoroso.

Diabetes gestacional – Os sintomas são muito similares à diabetes tipo 2 e pode ser diagnosticada até 22 semanas de gravidez. As causas ainda não são totalmente conhecidas, mas indícios apontam para a secreção de hormônios pela placenta que inibem a ação da insulina. Essa condição tende a ser resolvida logo após o parto mas durante a gestação deve ser controlada para não afetar o desenvolvimento do feto.

Diabetes insípida – Não tem relação com a glicose. Trata-se de um distúrbio de origem hormonal na maneira com que o corpo metaboliza a água e o sódio. Dentre os sintomas estão a sede excessiva, assim como vontade constante de urinar. O tratamento vai desde de o controle do consumo de fluidos até controles hormonais.

Cuidados preliminares

O diabetes é uma doença séria que exige um acompanhamento cuidadoso. Antes de começar a se exercitar, os diabéticos precisam passar por um exame médico minucioso para atestar qual o tipo de diabetes, qual seu nível e outras condições físicas que têm impacto na doença. O mais importante de tudo é fazer um bom planejamento alimentar atrelado à rotina de exercícios, tendo em vista que a hiperglicemia é quase sempre provocada por uma alimentação rica em açúcares.

Outra questão muito importante é fazer as atividades físicas com o acompanhamento profissional. Os picos hiperglicêmicos podem ser repentinos e inesperados e, caso sejam muito agudos e longos podem causar danos aos órgãos. Assim como o contrário; o mal funcionamento da insulina pode levar a crises hipoglicêmicas (baixa glicose) e mesmo ao coma por choque insulínico durante a atividade física. Então, além de seguir as orientações de seu médico e mantê-lo informado de sua rotina de exercícios, um profissional de educação física presente é recomendável no momento das atividades.

Riscos

Uma das maiores complicações enfrentadas pelos diabéticos é a dificuldade na cicatrização causada por complicações na circulação do sangue. Essa complicação pode afetar os nervos periféricos, principalmente nos pés (chamado de ‘pé diabético’) causando a perda de sensibilidade em membros quando o diabetes não estiver devidamente controlado. A deficiência na circulação também afeta o funcionamento do sistema imunológico, aumentando o risco de infecções e outras complicações mais graves em caso de ferimentos.

Por conta disso, qualquer machucado deve ser acompanhado atentamente nos diabéticos e qualquer dificuldade na cicatrização é motivo para auxílio médico imediato. A demora normalmente é acompanhada por inchaço, calor, dor anormal e às vezes a perda da sensibilidade na região.

Então, atividades físicas de alto impacto, como artes marciais, levantamentos de peso, atividades com risco de queda ou lesão são fortemente desaconselhados para diabéticos. Portanto, o recomendado são exercícios mais tranquilos, principalmente os feitos dentro d’água, como natação, hidroginástica, polo aquático, entre outros.  Outro cuidado é sempre medir a taxa de glicose no sangue antes e depois de cada atividade, monitorando eventuais flutuações, pois elas podem levar tanto à baixa glicêmica quanto à hiperglicemia.

Lembrando que é sempre recomendável levar algum tipo de carboidrato para os momentos de exercícios, como castanhas e snacks integrais, para os casos de baixa glicêmica repentina. Água também é crucial nos momentos de atividade física e ainda mais para pessoas com diabetes, pois além de repor as perdas durante o exercício, a água ajuda a controlar os níveis de açúcar no sangue.

Confira quais exercícios os diabéticos podem fazer sem riscos:

Caminhadas

Mesmo sendo um exercício muito leve, tem bons resultados na condição física, desde que feita num ritmo constante e com calçados apropriados. Elas aceleram o batimento cardíaco e o sistema respiratório, queimando calorias e consumindo glicose. Ao caminhar, o diabético deve optar por locais seguros e tranquilos como um parque e, se possível, estar sempre acompanhado de alguém.

Yoga e Tai Chi

Ambas as práticas são recomendáveis por seu pouquíssimo impacto e benefícios para a circulação. A Yoga tem efeitos positivos nos nervos, além de queimar gordura. O Tai Chi, mesmo sendo uma arte marcial, é lenta e sem impacto. Ambas atividades estimulam a respiração e o metabolismo, além de ter efeito desestressante.

Bicicleta

Devido ao risco de quedas, é recomendável fazer o exercício em uma bicicleta ergométrica. Pedalar aumenta a frequência cardíaca e respiratória e queima gorduras. Além disso causa um grande estímulo na circulação, sobretudo nas pernas, onde o risco é maior nos diabéticos.

Natação e hidroginástica

São os exercícios ideais para diabéticos. Permitem uma ampla gama de atividades físicas mas atenuam todo impacto no corpo. A água dá uma sustentação maior para o corpo, diminuindo o peso nas juntas e articulações. Além disso a natação promove uma melhora na circulação de todo o corpo, fortalece a musculatura, queima gorduras e aumenta a captação da glicose pelos músculos. Entretanto, por promover um grande gasto energético, atividades na água normalmente causam uma sensação de fome, então diabéticos devem tomar cuidado ao se alimentar após os treinos.

O diabetes é uma condição séria que exige cuidados permanentes como a alimentação e no cuidado com o corpo. Mas se controlado com atenção ele não é empecilho para uma vida ativa, saudável e feliz. Para quem precisa controlar o açúcar sem ter de abdicar de algumas delícias, a Vitao conta com produtos com zero açúcar, saudáveis e deliciosos.

 

banner-principal

banner-principal

 

 

 

 

Vitao

Newsletter

Descubra com a gente uma vida nova e cheia de sabor.

  • 12
    pessoas gostaram disto

COMPARTILHE

Deixe o seu comentário

Todos os campos são obrigatórios *