icon-29VITicon-30VITicon-23VITicon-24VITarrow copy 3icon-11VITicon-19VITicon-10VITicon-30VITicon-26VITicon-22VITicon-14VITicon-28VITicon-09VITPage 1icon-03VITicon-16VITicon-31VITPage 1pinoicon-27VITicon-25VITicon-01VITicon-01VITicon-02VITicon-04VITicon-13VITicon-12VITicon-18VITicon-08VITicon-17VITicon-05VITAtivo 1cardiomedlogoVITArtboard
  • Coma
  • Cuide
  • Receitas
Alimentação na gravidez: o que a gestante pode ou não comer

A gestação é um período de cuidado e carinho. Saiba quais alimentos são recomendados para a saúde da mamãe e do bebê

Muitas mulheres, assim que descobrem ou confirmam a gravidez, resolvem melhorar o cardápio diário para ter uma gestação saudável e cuidar do bebê em formação. Por isto, resolvemos ajudar as futuras mamães, falando sobre alimentação na gravidez. Afinal, o que a gestante pode ou não comer? Saiba mais.

Vitaminas são boas aliadas

Muitas grávidas precisam complementar a alimentação com complexos vitamínicos. Em um levantamento realizado pela Revista Crescer, foi observado que 47% das mamães tomaram ferro e vitaminas durante a gestação. Enquanto 33% consumiram só as vitaminas e 11% apenas o ferro. De acordo com os especialistas, estes suplementos podem ser necessários desde o terceiro mês de gravidez até o pós-parto. É importante lembrar que estas fórmulas devem ser receitadas pelo seu médico obstetra.

Como a gestante deve se alimentar?

Uma alimentação balanceada e equilibrada é a chave para uma vida saudável. E na gravidez, não pode ser diferente. Confira abaixo os nutrientes essenciais durante o período da gestação e a quantidade de porções que devem ser consumidas. Para um cardápio mais específico, recomendamos que as futuras mamães procurem o acompanhamento de um nutricionista e endocrinologista.

  1. Nutrientes essenciais
Nutrientes Importância na alimentação Onde são encontradas
Proteína Importante ajuda na formação e crescimento do bebê, da placenta e tecidos maternos. Carnes magras, leite e derivados com pouca gordura e ovos.
Carboidrato Principal fonte de energia para a gestante. Muitas sofrem com sono excessivo durante o primeiro trimestre e cansaço no terceiro trimestre. Cereais integrais, massas integrais, pães integrais e tubérculos, como mandioca, mandioquinha e batata.
Cálcio Essencial no período de lactação, a necessidade de seu consumo aumenta durante a gestação. Leite e derivados, vegetais de cor verde-escuro e cereais integrais.
Ferro Ajuda no crescimento da placenta e desenvolvimento do bebê. Carnes magras, leguminosas (feijão, lentilha e grão de bico, por exemplo) e vegetais de cor verde-escuro.
Ácido Fólico Muito importante no processo de divisão celular, reduzindo os riscos de anomalias congênitas e doenças vasculares. Leguminosas, vegetais de cor verde-escuro, frutas (como laranja, banana, melão e morango), carnes e ovos.
  1. Quantidade de porções recomendadas

Como falamos acima, para um cardápio diário específico para a sua condição física e desejo, é essencial se consultar com um profissional de nutrição e endocrinologista. Abaixo, temos uma lista com a quantidade média do que uma gestante deve consumir diariamente:

  • Proteínas: de 2 a 3 porções diárias;
  • Laticínios: de 2 a 3 porções diárias;
  • Carboidratos: de 4 a 6 porções diárias – preferência para os integrais;
  • Vegetais: de 3 a 4 porções diárias – lembre-se que quanto mais colorido for o prato, mais nutrientes você está consumindo;
  • Frutas: de 4 a 5 porções diárias;
  • Ferro: de 1 a 2 porções diárias;
  • Muita, mas muita água: mínimo de 2 litros diários

Fonte: Revista Crescer

Alimentos que devem ser consumidos com moderação

Importante ressaltar que os alimentos abaixo não devem ser excluídos durante o período da gravidez, e sim, consumidos de maneira moderada.

  1. Carboidratos Refinados

Apesar dos carboidratos serem essenciais no cardápio diários das grávidas, é preciso tomar cuidado com o tipo de alimento que você está ingerindo. Os carboidratos ditos refinado, como arroz, farinha e açúcar branco devem ser evitados durante este período. Substitua estes ingredientes, pelas suas versões integrais. Além de deixar sua alimentação rica em fibras e nutrientes, estes alimentos previnem a formação de gases – um mal que muitas gestantes sofrem.

  1. Café

Normalmente, os médicos liberam até duas xícaras pequenas por dia para as grávidas. Contudo, fique ligado a outros alimentos que possuem cafeína, como refrigerantes de cola e chá preto. Se for consumi-los, não esqueça de adicionar no seu controle as duas xícaras diárias. Ah, não se esqueça que a cafeína tem efeito diurético, então se você estiver incomodada com as idas frequentes ao banheiro, talvez seja uma boa diminuir um pouco mais a dose.

  1. Alguns tipos de peixes

Os peixes que estão no topo da cadeia alimentar (cação, marlim e peixe-espada) devem ser evitados durante a gestão. Os altos níveis de mercúrio destes alimentos podem causar algum tipo de problema no desenvolvimento do feto. A boa notícia é que os peixes gordos, como cavala, sardinha, truta e atum fresco são altamente recomendados para as futuras mamães. Contudo, lembre-se de limitar o consumo destes frutos do mar para até duas vezes na semana.

  1. Cuidado com o consumo de frutas, verduras e hortaliças

Calma, ninguém está proibindo a grávida de consumir estes alimentos altamente saudáveis. Porém, é essencial descobrir a origem das frutas, verduras e hortaliças que você está consumindo. Os agrotóxicos presentes nestes ingredientes podem afetar os ovários, reduzindo a fertilidade da mãe e de seus bebês. Procure consumir somente os alimentos que vêm de produtores que respeitam as normas da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Se puder optar pelos produtos orgânicos, é melhor ainda.

Elimine da alimentação

Se alguns alimentos devem ser consumidos com moderação, outros devem ser riscados do cardápio da gestante. Vamos descobrir quais são?

  1. Carnes cruas e legumes mal lavados

Para evitar o risco de toxoplasmose e outras doenças, as futuras mamães devem evitar comer carnes cruas, como sushi, rosbife, kibe cru e carpaccio. Os legumes, hortaliças e frutas também devem ser bem lavados para o consumo.

  1. Alguns tipos de leites e queijos

Leites e queijos não pasteurizados podem ser fontes de uma bactéria que causa a listeriose. Os casos mais graves desta infecção são bem raros (aborto, parto prematuro e infecções no bebê), mas ninguém quer correr o risco, não é mesmo? Entre os exemplos destes alimentos, temos: leite de ovelha, leite de cabra, brie, feta e camembert.

 

Gostou do nosso guia de alimentação para gestantes? Não se esqueça de conferir nossas dicas para atividades físicas durante a gravidez. Unindo o combo: exercício físico e cardápio saudável, temos certeza que tanto a futura mamãe, como o bebê vão passar os 9 meses cheios de saúde.

Newsletter

Descubra com a gente uma vida nova e cheia de sabor.

  • 3
    pessoas gostaram disto

COMPARTILHE

Deixe o seu comentário

Todos os campos são obrigatórios *