icon-29VITicon-30VITicon-23VITicon-24VITarrow copy 3icon-11VITicon-19VITicon-10VITicon-30VITicon-26VITicon-22VITicon-14VITicon-28VITicon-09VITPage 1icon-03VITicon-16VITicon-31VITPage 1pinoicon-27VITicon-25VITicon-01VITicon-01VITicon-02VITicon-04VITicon-13VITicon-12VITicon-18VITicon-08VITicon-17VITicon-05VITAtivo 1cardiomedlogoVITArtboard
  • Cuide
Entenda as diferenças entre alergia ao leite e intolerância à lactose

Se você costuma frequentar o supermercado, certamente notou que nos últimos anos os produtos sem lactose começaram a se multiplicar. Hoje, existem sessões criadas especialmente para estes produtos, como leite, iogurte, creme de leite, leite condensado e muitos outros.

Isso acontece porque é cada vez mais comum a quantidade de pessoas que descobrem a intolerância à lactose, através de teste médicos. Mas, esta não é a única reação adversa que o leite pode provocar, existe também a alergia ao leite, e é preciso estar ciente sobre a diferença entre as duas reações. Nós te ajudaremos a entender a diferença entre as duas.

Alergia ao Leite

A alergia ao leite nada mais é do que uma reação alérgica às proteínas contidas no leite, e funciona da mesma maneira como outras alergias já conhecidas, como alergia ao amendoim, camarão e outros alimentos.

Esta doença geralmente se manifesta nos primeiros anos de vida, inclusive na fase de amamentação, quando a mãe costuma consumir muitos alimentos derivados do leite de vaca, que são transferidos para a criança por meio do leite materno. Nestes casos, aos primeiros sinais de alergia, a mãe deve buscar um médico especializado.

Como em outros casos, essa alergia costuma aparecer por meio de reações intestinais como vômitos e diarreias, inflamatórias ou cutâneas. O diagnóstico é feito por meio de diferentes testes médicos, e assim que descoberta, a alergia deve ser tratada de maneira adequada segundo recomendação médica.

Por estar presente no organismo desde o início, a alergia ao leite é mais comum em crianças, e segundo a Faculdade Federal de Viçosa, na grande maioria das vezes ela se manifesta apenas durante a infância, sendo que 60% dos casos duram até os quatro anos de idade, e 80% até os seis anos. Mas esta não é uma regra, afinal existem casos nos quais a alergia permanece por toda a vida.

O que posso comer?

O indicado é que a alimentação dos alérgicos seja livre de quaisquer alimentos que contenham leite, traços de leite ou derivados como queijos e iogurte. Isso porque, dependendo do nível de alergia mesmo uma pequena quantidade pode desencadear uma forte reação.

O leite de vaca é uma importante fonte de cálcio em nossa dieta, por isso é preciso buscar um profissional que defina uma dieta adequada para que não falte cálcio no corpo, principalmente no caso de crianças, por estarem em fase de crescimento.

Como falamos, a alergia costuma passar com o decorrer dos anos graças aos diferentes tratamentos existentes. Enquanto isso não ocorre, é possível recorrer a outros leites como de cabra, soja ou amêndoas que ajudam complementar a alimentação do alérgico. Mas atenção: os produtos sem lactose também devem ser evitados, afinal, muitos deles continuam a causar reações alérgicas devido a presença das proteínas do leite que causam alergia, e que não são a mesma coisa que a lactose.

Intolerância a Lactose

 

A intolerância a lactose, diferente da alergia ao leite, pode aparecer em qualquer fase da vida, principalmente na fase adulta. Isso porque, essa reação funciona de maneira completamente diferente da que explicamos anteriormente.

A lactose é o açúcar presente no leite, e a lactase é uma enzima do corpo responsável por quebrar e digerir este açúcar. Porém, é muito comum que com o passar dos anos, nosso corpo diminua a produção de lactase, e assim nos tornamos intolerantes a lactose. Segundo estudo da Universidade Federal de Viçosa, cerca de 25% dos brasileiros sofrem deste problema, e o diagnóstico deve ser feito por meio de testes médicos.

O que posso comer?

Nos casos de intolerância, as reações à ingestão do leite podem ser as mais diversas possíveis. Enquanto algumas pessoas podem tomar um copo de leite sem sentir nada, outras sequer podem consumir alimentos com traços de leite sem ter uma reação intestinal como dores abdominais, cólica, diarreia, gases ou vômitos, que podem se manifestar minutos ou horas depois da ingestão.

Por isso é preciso buscar um profissional que possa te orientar e descobrir o seu nível de intolerância. Assim, você consegue construir uma dieta específica para o seu caso, contendo nenhum ou poucos alimentos com leite ou derivados.

Apesar de não existir um tratamento para o aumento de produção de lactase, existem maneiras de evitar as reações que este problema pode causar. É aí que entram os produtos sem lactose, estes produtos ajudam o intolerante a levar uma dieta mais próxima do comum, podendo consumir biscoitos, leite, iogurte, chocolate – colocar link, bolos e muitos outros produtos que em sua fabricação tem a lactose eliminada.

Se você se identificou com algumas dessas reações, o indicado é que busque um especialista, afinal só um médico pode dar um diagnóstico exato da sua doença. E seja qual for a reação que seu corpo tenha com a ingestão do leite, é preciso sempre lembrar que o cuidado com você mesmo e da sua saúde deve estar sempre em primeiro lugar.

Vitao

Newsletter

Descubra com a gente uma vida nova e cheia de sabor.

  • 2
    pessoas gostaram disto

COMPARTILHE

Deixe o seu comentário

Todos os campos são obrigatórios *