icon-29VITicon-30VITicon-23VITicon-24VITarrow copy 3icon-11VITicon-19VITicon-10VITicon-30VITicon-26VITicon-22VITicon-14VITicon-28VITicon-09VITPage 1icon-03VITicon-16VITicon-31VITPage 1pinoicon-27VITicon-25VITicon-01VITicon-01VITicon-02VITicon-04VITicon-13VITicon-12VITicon-18VITicon-08VITicon-17VITicon-05VITAtivo 1cardiomedlogoVITArtboard
  • Coma
  • Cuide
Meu filho não come: dicas para ajudar na alimentação infantil saudável

Seu filho arranja problemas na hora de comer? Confira algumas dicas que vão ajudar você a resolver esta situação.

É extremamente normal que algumas crianças deem mais trabalho na hora de fazer a refeição do que as outras. Se recusar a experimentar alimentos novos e fugir na hora de se sentar à mesa são algumas das principais atitudes praticadas pelos pequenos. Seu filho também é daqueles que não come? Confira algumas dicas para ajudar na alimentação infantil saudável.

Um estudo, feito na Universidade de Illinois, concluiu que de 19 a 50% das crianças maiores de 2 anos apresentam um comportamento mais seletivo na hora de se alimentar. Esta pesquisa foi feita com 170 crianças de 2 a 4 anos e que, segundos os pais, apresentavam dificuldades na hora de comer. Os cientistas acompanharam o comportamento dos pequenos durante duas semanas. A conclusão dos pesquisadores? As crianças podem ser divididas em quatro categorias – algumas podem fazer parte de mais um tipo, mas o estudo preferiu classificá-las de acordo com o comportamento mais predominante. Confira:

  1. Sensoriais (20,4% das crianças): preferência por comidas duras, secas ou crocantes. Podem ser salgadas ou doces, contudo sem uma grande complexidade nos sabores.
  2. Preferenciais (20,6%): as crianças deste grupo rejeitam qualquer coisa que não seja familiar.
  3. Comportamentais (15%): aqui estão os pequenos que podem chorar e se recusar a abrir a boca quando a comida não é feita, cortada ou apresentada do jeito que gostam. Eles também se mostram desinteressados nos pratos enquanto estão postos à mesa.
  4. Perfeccionistas (44%): a maior categoria abrange crianças com preferências exigentes, como não comer um alimento de textura mole, só aceitar comida de uma certa cor ou não consumir um produto com partes duras no meio.

Veja também o conteúdo que fizemos especialmente para você, ensinando a ter uma dieta mais saudável. Baixe agora o e-book gratuito e saiba como começar a se alimentar bem:

Como fazer meu filho comer?

O estudo acima foi feito com o objetivo de determinar as melhores estratégias para os integrantes de cada uma das categorias. Apesar da meta ainda não ter sido alcançada e não existir uma definição exclusiva para cada grupo, há algumas dicas simples que podem ser aplicadas no dia a dia e fazem uma grande diferença.

  1. Se a criança se nega a comer determinado alimento

Forçar a criança a limpar o prato ou colocá-la de castigo se ela se recusar a comer são atitudes que estimulam ainda mais a criação uma relação negativa com as refeições. Sirva o mesmo alimento em diversas ocasiões e de mais variadas maneiras, mesmo que a criança continue recusando. Você também pode envolver o seu filho no processo de preparo da comida, desde a escolha dos produtos no supermercado ao momento de colocar o prato na mesa.

  1. Transformando a refeição em momento lúdico

Muitos pais percebem que o problema da criança à mesa não é tanto em relação a comida em si. Os pequenos ficam irritados por precisarem interromper a brincadeira para ir fazer sua refeição. Se você reparar que este é o seu caso, existem alguns incentivos que podem funcionar. Transite entre a horar de pausar a diversão e ir comer com alguma atividade intermediária, como lavar as mãos com um sabonete diferente. Também é possível criar brincadeiras e charadas sobre os pratos que vão ser postos à mesa, como pedir para a criança adivinhar o que tem para o almoço ou qual é a cor do suco do dia. Qualquer maneira que você encontrar para transformar este momento em um prazer para as crianças já está valendo.

  1. Esqueça as recompensas por uma refeição

Oferecer alguma recompensa para a criança comer, seja uma sobremesa ou presente, é um tipo de chantagem. Os pequenos precisam aprender que a refeição é um ato prazeroso e saudável, e não algo que se faça esperando alguma coisa em troca.

  1. Comer é uma atividade em família

As crianças aprendem muito mais observando as atitudes dos pais do que o que eles falam. E isso também vale para a alimentação. Por conta disso, é essencial que comer seja uma atividade familiar. Até porque se você optar por dar o prato para o seu filho antes, ele provavelmente vai solicitar a sua atenção enquanto se alimenta. Além disso, dividir a mesa com os pequenos é uma forma de ensiná-los o que pode ou não ser feito durante este momento.

Se a rotina corrida da sua família impede que vocês façam todas as refeições juntos, escolha alguma delas (café da manhã, almoço ou jantar) para reunir todos em volta da mesa.

Vale lembrar que, para boa parte das crianças, recusar a comida é só uma fase passageira. Contudo, se você perceber que o momento da refeição causa sofrimento ao seu filho ou que ele está ingerindo menos nutrientes do que o necessário para o desenvolvimento saudável, é a hora de procurar ajuda médica e nutricional.

Gostou das dicas que separamos para você? Para ajudar ainda mais no seu dia a dia com as crianças, separamos alguns truques para ensinar seu filho a se alimentar melhor, vale a pena conferir. E não se esqueça que a Vitao está ao seu lado oferecendo alimentos mais saudáveis,  nutritivos e cheios de sabor.

 

Muitas vezes, as pessoas desistem de se alimentar de forma saudável devido aos altos custos desse estilo de vida. Por isso, fizemos esse e-book gratuito para mostrar a você que tem como ser saudável gastando pouco. Baixe agora e tenha acesso ao material:

Vitao

Newsletter

Descubra com a gente uma vida nova e cheia de sabor.

  • 6
    pessoas gostaram disto

COMPARTILHE

Deixe o seu comentário

Todos os campos são obrigatórios *